»Geral - Panambi News

Inter aniquila a Universidad Católica por 3 a 0 em jogo de alta voltagem

Colorado criou várias oportunidades durante a partida | Foto: Fabiano do Amaral
Colorado criou várias oportunidades durante a partida | Foto: Fabiano do Amaral

Guerrero comandou a vitória colorada, marcando duas vezes e dando assistência para fechar placar na Libertadores

Intensidade. Se esta é a palavra que mais se repete para definir o estilo de jogo do técnico Eduardo Coudet, a partida de estreia do Inter na fase de grupos da Libertadores mostrou o porquê disse. Em alta voltagem, o Colorado recebeu a Universidad Católica nesta quarta e aniquilou os chilenos no Beira-Rio. Embalado pela torcida, o Colorado venceu por 3 a 0 em uma noite de muitas chances. Paolo Guerrero, duas vezes, e Marcos Guilherme, marcaram na vitória.

A partida foi toda de domínio do Inter, que criou muitas oportunidades. No primeiro tempo, a bola insistiu em não entrar. Foram mais de dez finalizações que não foram convertidas. A tônica parecia se repetir na segunda parcial, até que o perunano do Colorado desestabilizou os adversários, abrindo as portas para o resultado. De falta, ele marcou o primeiro. Na sequência, balançou a rede pela segunda vez. Minutos depois, deu assistência para o colega selar o resultado.

O próximo compromisso do Colorado é pelo campeonato Gaúcho, no domingo, contra o Brasil de Pelotas. Pela Libertadores, volta a campo para o clássico Gre-Nal, que será disputado no dia 12 de março, na Arena. A partida está marcada para as 21h.

Supremacia Colorada

Se nas arquibancadas o sentimento era de otimismo com o time, dentro do gramado, os 11 iniciais começaram dando um susto no torcedor. No primeiro lance do jogo, num erro de comunicação entre Bruno Fuchs e Marcelo Lomba, o zagueiro afastou cruzamento que estava nas mãos para trás, quase marcando contra. Minutos depois, o jovem defensor entregou para Munder, que achou Zampedri pela esquerda. O camisa 9 dos chilenos arrancou na velocidade e foi derrubado por Cuesta que levou cartão amarelo, a um passo da área.

Depois da surpresa inicial, só deu Inter, porém. Demonstrando entrosamento com o estilo de Coudet, o Colorado impôs um jogo rápido, com intensas trocas de passes e muita velocidade nas ações ofensivas. Em 10 minutos de partida, o time acumulava sete finalizações, com seis chances claras de abrir o marcador: aos 3, Galhardo encontrou Marcos Guilherme, que ficou cara a cara com o goleiro, mas mandou pela linha de fundo. Aos 8, Rodinei cruzou para Galhardo, que finalizou de letra, no que seria um gola. Em lance na sequência, o atacante teve outra chance, mas o goleiro defendeu.

Em meio à pressão dos gaúchos, ficou evidente a boa triangulação de Galhardo, Marcos Guilherme, e Guerrero, que comandavam as ações ofensivas centralizados, mas também buscando abertura pelas laterais. A marcação e o posicionamento adiantado, forçando o adversário a errar, dava resultado. Cuesta atuava sem dificuldades na metade de ataque e até arriscava chutes de longa distância.

A supremacia colorada fez o técnico Ariel Holán mudar o posicionamento dentro de campo, abrindo mão do 3-4-3 para recuar o time e adotar uma postura mais conservadora com quatro defensores. Com o novo esquema, o time se estabilizou, mas o Inter permaneceu com posse e domínio. Os visitantes tentavam se lançar ao ataque, sobretudo nas costas de Uendel, cuja atuação destoava daquela dos companheiros.

Aos 24, Guerrero aproveitou recuo errado e arriscou de fora, chutando muito próximo à trave de Dituro. Aos 35, Marcos Guilherme cruza pra área, Guerrero desviou de cabeça, mas a bola ficou fácil para a defesa do goleiro. Na velocidade, mais uma chance, na sequência: Marcos Guilherme encontrou Galhardo, que finalizou com a perna direita, pela linha de fundo.

Nos minutos finais, o jogo esquentou com os chilenos acirrando a marcação e cometendo muitas faltas. E foi em lance de bola parada que os visitantes tiveram sua melhor chance. Aos 43, Munder foi derrubado por Uendel. Aued cobrou direto para o gol, fazendo Lomba espalmar para a frente. Na sequência, Boschilia tentou sair no contra-ataque, mas foi derrubado por Fuenzalida com carrinho por trás. O lance gerou reclamações por parte dos Colorados – Ariel Broggi, auxiliar de Coudet, inclusive for advertido por reclamação. Apesar do controle da partida e dos dois minutos de acréscimo, o Inter não conseguiu abrir o placar com 12 finalizações.

Segundo tempo de gols

Para o segundo tempo, Marcos Guilherme e Boschilia inverteram de lado. E o Inter manteve a postura da primeira metade do jogo. Logo aos dois minutos, o time teve nova chance de abrir o marcador após erro crasso do goleiro Dituro, que entregou a bola nos pés de Edenílson. O volante tentou colocar por cobertura mas a bola foi muito forte, diretamente pela linha de fundo. Na sequência, Galhardo levou a melhor sobre Parot, que derrubou o atacante a menos de um metro da área. Boschilia cobrou fechado, mas Dituro tirou de soco.

Em nova falta aos 6, Marcos Guilherme lançou Guerrero, que, de dentro da área, não conseguiu o domínio e deixou a bola escapar direto para as mãos do goleiro. Aos 7, Uendel recuperou lançamento de Bruno Fuchs e levou até a linha de fundo. No cruzamento, Galhardo tentou a finalização, mas Parot afastou. Edenilson chutou o rebote, e Dituro tirou de soco. Sobrou para Galhardo que, meio de voleio, meio de bicicleta, tentou finalizar ao gol, mas a bola balançou a rede por cima do travessão, do lado de fora.

Guerrero "abre a porteira"

A rede finalmente balançou aos 16, fazendo o Beira-Rio rugir. Guerrero sofreu falta de frente próximo à meia-lua, centralizada. O próprio camisa 9 foi para a cobrança. De direita, bateu firme e contou com desvio em Asta-Buruaga para abrir o marcador em Porto Alegre. Dituro nem se mexeu e só viu a bola cruzar a linha.

Como se diz na linguagem popular, a porteira foi aberta. Enquanto a torcida cantava forte, a marcação adiantada surtia efeito. Após mais uma saída errada, o goleiro entregou para Thiago Galhardo, que tocou para o peruano, que colocou milimetricamente no canto. A bola bateu na trave e entrou aos 21.

O terceiro veio logo em seguida. Depois de jogada pela esquerda, Edenílson conduziu à linha de fundo e achou o camisa 9 do Colorado dentro da área, que escorou para Marcos Guilherme. Sem chances para os chilenos, o atacante liquidou o jogo. Com o placar selado, Coudet começou a fazer mudanças. Lindoso e Praxedes entraram nos lugares de Boschilia e Cuesta. Gustagol substitui Galhardo.

E na sua estreia com a camisa vermelha, o atacante quase marcou aos 41. Praxedes tocou para o último contratado pelo time que, de cara a cara, chutou em cima de Dituro. O lance não fez falta para o placar, pois, em uma noite de luxo, o Inter arrancou com o pé direito em busca de mais um título da Libertadores.

Inter x Universidad Católica | Libertadores - 1ª rodada

Inter 3

Lomba; Rodinei, Bruno Fuchs, Victor Cuesta (Praxedes), Uendel; Musto; Marcos Guilherme, Edenílson, Boschilia (Lindoso); Thiago Galhardo (Gustagol) e Paolo Guerrero.

Técnico: Eduardo Coudet

Universidad Católica 0

Dituro; Asta-Buruaga (Marcelino Núñez), Kuscevic, Huerta e Fuenzalida; Parot, Saavedra, Aued (Pinares) e Munder; Zampedri e Puch.

Técnico: Ariel Holán

Gols: Guerrero (16"/2ºT) e (21"/2ºT), Marcos Guilherme (25"/2ºT)

Cartões Amarelos: Cuesta, Galhardo, Boschilia (I); Aued (UC)

Cartões Amarelos: Huerta (UC)

Arbitragem: Ángel Arteaga (VEN)

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Placar: 35.860

Horário: 19h15min

Matéria publicacada em 03/03/2020
COMPARTILHE ESTA PÁGINA
» Arquivo de Notícias
O panambinews.com é totalmente contrário a prática de cópias não autorizadas de conteúdo, matérias e fotos ( violação de direitos autorais ) e também não autoriza a reprodução de seu conteúdo em outros sites, portais ou ainda em mídia impressa, a não ser sob autorização escrita e certificada. Podendo apenas compartilhar nas redes socias preservando as informações, links e créditos originais.