»Geral - Panambi News

Aulas das redes pública e privada retornam a partir de 1º de junho com ensino à distância no RS

 Foto: Lucas Nogare / Divulgação Seduc
Foto: Lucas Nogare / Divulgação Seduc

Secretaria Estadual da Educação prioriza volta gradual com adoção de protocolos de acordo com as bandeiras do modelo de distanciamento controlado de cada região. Retorno presencial só deve acontecer a partir de julho.

Na segunda etapa, que deve iniciar em 15 de junho, será permitida a volta do ensino superior, pós-graduações, ensino técnico e cursos livres, como escolas profissionalizantes, de idiomas, artes ou similares. Contudo, o retorno presencial é restrito às atividades práticas essenciais de conclusão do curso, pesquisa, estágio curricular obrigatório e atividades em laboratórios.

Isto porque, somados, o governo estima que cerca de 141 mil estudantes desses segmentos voltem a circular, o que representa 5% do total de alunos do estado.

"Cursos livres não são diários. Não sai todo mundo ao mesmo tempo", observa a secretária de Planejamento, Leany Lemos.

Protocolos conforme cor de bandeira

Mesmo assim, os protocolos de segurança devem ser obedecidos de acordo com a classificação das bandeiras de cada região. A secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann, diz que será avaliado desde o transporte escolar até a chegada dos alunos às escolas.

"Vamos criar uma relação da educação com a rede de saúde", aponta.

Como o estado está apenas com as bandeiras amarela e laranja, as aulas desses segmentos devem respeitar o teto de 50% de ocupação das salas. Veja abaixo:

Obrigatório (todas as bandeiras e todas as instituições)

*Teto de operação

*Teto de ocupação de salas

*Modo de operação

*Horário de Funcionamento

*Comitês Operacionais de Emergência em Saúde

*Plano de contingência (escolas acima de 100 pessoas)

*Uso de máscaras

*Distanciamento entre as pessoas (1,5m com máscara e 2m sem máscara)

*Afastamento de casos positivos

*Atendimento especial a grupos de risco

*Higienização (ambiente, trabalhadores e público)

*EPI

*Recomendável (variáveis por bandeiras)

*Informativos visíveis

*Monitoramento de temperaturas

*Testagem

*Recomendável (variáveis por bandeiras)

*Informativos visíveis

*Monitoramento de temperaturas

*Testagem

Aulas presenciais apenas em julho

As duas primeiras fases estão estipuladas. As três etapas seguintes, entretanto, ainda dependem da análise da propagação do coronavírus e da observação do aumento da circulação de pessoas em junho.

"A gente planeja algo gradual, porque a prioridade é a proteção à vida e à saúde das pessoas", diz o governador. "Cada momento pode ser antecipado, se a situação melhorar, ou postergado, se piorar. Vivemos ainda um quadro de incertezas no mundo inteiro", pontua.

O objetivo é priorizar o retorno da educação infantil a partir de 1º de julho. Nesta etapa, as cerca de 458 mil crianças poderão voltar à rotina escolar, em especial das 28,8% mais pobres que estão em creches e das 20,5% de baixa renda que dependem da estrutura de segurança e alimentação das pré-escolas.

"Pais que possam deixar os alunos em casa, podem manter, e é ate é recomendável. Mas muitos não podem, e a escola é o auxilio", diz Leite.

Depois, devem retornar ao ensino presencial os estudantes de ensino fundamental, médio e de jovens e adultos. Também nesses casos, contudo, será necessário respeitar protocolos de segurança obrigatórios e recomendados.

"A cada 15 dias estaremos avaliando as próximas etapas", sublinha Faisal.

As datas não estão determinadas, mas devem acontecer entre 3 de agosto (liberando, em um cenário mais conservador, 21% dos alunos e, em um mais flexível, 38%) e 14 de setembro (a totalidade).

69 dias sem aulas

As aulas estão suspensas desde 19 de março. A partir da data da suspensão, até o dia 30 de abril, a Secretaria Estadual de Educação promoveu aulas programadas.

Segundo a Seduc, diversos recursos foram utilizados pelos professores, desde a distribuição presencial de tarefas e materiais didáticos aos pais ou responsáveis até a utilização de plataformas digitais e rede sociais.

O recesso escolar, que estava previsto para o mês de julho, foi antecipado para a primeira quinzena de maio. As aulas online permanecem suspensas até o dia 29 de maio. G1.com

 

Matéria publicacada em 27/05/2020
COMPARTILHE ESTA PÁGINA
» Arquivo de Notícias
O panambinews.com é totalmente contrário a prática de cópias não autorizadas de conteúdo, matérias e fotos ( violação de direitos autorais ) e também não autoriza a reprodução de seu conteúdo em outros sites, portais ou ainda em mídia impressa, a não ser sob autorização escrita e certificada. Podendo apenas compartilhar nas redes socias preservando as informações, links e créditos originais.