»Geral - Panambi News

Bebê de 9 meses é morto em Erechim

Padastro já teria tentado envenenar essa criança

A morte violenta de um bebê de 10 meses, ocorrida na noite desta quarta-feira, 27, em Erechim causou comoção na cidade. A criança teria sido morta por asfixia mecânica e com um ferimento na cabeça. O principal suspeito é o padrasto que está preso. Segundo a Polícia Civil ele e a mãe seriam usuários de drogas.

Segundo relatos da mãe, de 31 anos, a polícia, Pedro Henrique de Beskow estava em casa dormindo quando ela teria saído para comprar leite. Ao retornar percebeu que a criança estava ferida e desacordada. Com o bebê nos braços pediu ajuda para levar a criança a Fundação Hospitalar Santa Terezinha. Os médicos tentaram reanimar o menino mas ele acabou morrendo. Um tempo depois a Brigada Militar prendeu o padrasto, de 42 anos, que nega a autoria o fato.

A versão da mãe foi desmentida pela polícia que informou que a criança teria sido agredida, enquanto a mãe – que é usuária de drogas – saiu para comprar entorpecentes em um bairro vizinho. De acordo com o titular da 2ª Delegacia de Polícia de Erechim, delegado Roberto Lukaszewigz, um inquérito já foi instaurado e pessoas já prestaram depoimento sobre o fato. “Com base na versão da mãe, se encontram respaldo nos indicativos do crime. O suspeito, possui histórico de violência familiar e agressão doméstica. Ele, inclusive, já teria tentado envenenar essa criança. Tanto o padrasto como a mãe são usuários de drogas. O bebê era o sétimo filho desta mulher. Os outros seis estão sendo cuidados por outras pessoas”, explica o titular das investigações.

Diligências serão realizadas nas próximas horas. A polícia quer descobrir a motivação do crime. O resultado da necropsia no corpo do bebê também pode apontar outros detalhes sobre o caso. A Polícia tem 10 dias para concluir o Inquérito Policial. por-Atmosferaonline.com


Matéria publicacada em 28/05/2020
COMPARTILHE ESTA PÁGINA
» Arquivo de Notícias
O panambinews.com é totalmente contrário a prática de cópias não autorizadas de conteúdo, matérias e fotos ( violação de direitos autorais ) e também não autoriza a reprodução de seu conteúdo em outros sites, portais ou ainda em mídia impressa, a não ser sob autorização escrita e certificada. Podendo apenas compartilhar nas redes socias preservando as informações, links e créditos originais.