»Geral - Panambi News

Prefeito Daniel Hinnah e parte dos vereadores de sua base aliada, rejeitam recursos destinados pelo vereador Ibraim Chagas – PSDB, para área da saúde

COM VOTO CONTRÁRIO DOS VEREADORES SÉRGIO RIBEIRO (SER CHAPLE) - PDT, MILTON FIGUEIRÓ (ARANHA) – PDT, GERALDO OLIVEIRA – PDT, ERNANI BOROWSKI (POLACO) – PMDB E LAURO MICHELS – PMDB, RECURSOS PARA O PRONTO SOCORRO E COMPRA DE MEDICAMENTOS QUE TOTALIZAVAM R$ 823 MIL, FORAM RETIRADOS DO PPA – PLANO PLURI ANUAL.

A noite da última segunda feira, 16, foi uma daquelas para tentar se esquecer. Tentar, porque vai ficar registrada nos anais da Câmara de Vereadores e, sobretudo, marcará indiscutivelmente a vida da comunidade panambiense.

O Poder Legislativo. A Câmara de Vereadores. A Casa do Povo, desvirtuou-se de sua função existencial de representar a população no atendimento de suas demandas.

Uma breve recuperação dos fatos se faz necessária. Quando da votação do Plano Plurianual, o vereador Ibraim Chagas – PSDB, propôs legitimamente emendas, para área da segurança pública R$ 100 mil (rejeitada pelos vereadores da base do prefeito); para prevenção e combate do câncer de mama R$ 60 mil (rejeitada pelos vereadores da base do prefeito); para o Pronto Socorro R$ 595 mil (aprovada, mas com votos contrários da maioria da base do prefeito) e para compra de remédios R$ 228 mil (aprovada, mas com votos contrários da maioria da base do prefeito).

As duas emendas aprovadas passaram a fazer parte do projeto de lei aprovado pela Câmara de Vereadores e encaminhado para sansão do prefeito. Todavia, o senhor prefeito dentro de suas prioridades, as quais não causam nenhuma estranheza, vetou as emendas do vereador ibraim, ou seja, ele disse não quero recursos para o pronto Socorro nem para compra de medicamentos.

Devolveu o projeto para Câmara de Vereadores, a qual na última segunda feira, 16, votou o mesmo. Para manter os recursos destinados pelo vereador Ibraim chagas no Plano Plurianual, o veto do prefeito tinha que ser rejeitado. Para isso se necessitava do voto de pelo menos 07 vereadores.

A TRAGÉDIA FOI CONSUMADA

Tecnicamente o veto do prefeito estava em desconformidade. Mal elaborado, em desacordo com as normativas. Prova disso foi que três comissões da câmara de vereadores rejeitaram em seus pareceres o veto do prefeito, reconhecendo que não poderia ter sido feito do jeito que foi.

Chegou a hora da votação, o chamado voto político, que revela o pensamento de cada um sobre o assunto foi proferido. Favoráveis a rejeição do veto do prefeito e pela manutenção dos recursos para saúde votaram os seguintes vereadores: Ibraim Chagas, Leandro Almeida, Paulo Sérgio, Clarice Morche de Oliveira, Gustavo cavalheiro e Vandi. Apoiaram a iniciativa do prefeito de rejeitar os recursos para saúde os vereadores: Sérgio Ribeiro (Ser Chaple), Geraldo Oliveira, Milton Figueiró (Aranha), Ernani Borowski (Polaco) e Lauro Michels. Faltou um voto para derrubar e vencer a inciativa do prefeito de tirar do Plano Plurianual a indicação recursos para saúde.

VEREADOR IBRAIM CHAGAS LAMENTOU O DESCASO COM A SAÚDE: “OS VALORES QUE COLOQUEI NA PASTA DA SAÚDE, SAÍRAM DA PRÓPRIA CÂMARA DE VEREADORES. ENTENDI NÃO SER PRIORIDADE COMPRAR CARRO, TERRENO, CONSTRUIR ESTACIONAMENTO E AMPLIAR O PRÉDIO. INFELIZMENTE O PREFEITO E PARTE DOS VEREADORES QUE LHE APOIAM PENSAM DIFERENTE. ”

Ao final da votação, o vereador Ibraim Chagas lamentou o desfecho que ocorreu. A origem dos recursos colocados para saúde no plano plurianual, vieram da própria Câmara de Vereadores. Após um estudo detalhado, retiramos valores que foram destinados para compra de um terreno para Câmara, ampliação do prédio da Câmara, construção de um estacionamento para Câmara e para compra de um carro para Câmara. Entendemos que essas não eram situações emergenciais e de prioridade. Prioridade são as demandas da saúde, onde nosso pronto socorro atende mensalmente em torno de 4.000 pessoas, bem como a assistência farmacêutica, que possibilita o acesso a população de medicamentos.

Em análise do ocorrido, o vereador Ibraim Chagas, ponderou que a derrota não foi dele. Observou que os recursos foram destinados para saúde. Para o bem estar da população. O prefeito e parte dos vereadores aliados a seu pensamento, não prejudicaram a um vereador mas sim a toda comunidade que utiliza os serviços de saúde.

Em meio a esses desdobramentos ficou claro as prioridades de cada um. O prefeito e parte de seus vereadores aliados disseram não a inclusão de verbas para saúde, como que se nessa área estivesse sobrando dinheiro. Está claro que se estabeleceu um divisor de águas. Na Câmara de vereadores de Panambi, não tem situação nem oposição. Na Câmara de Vereadores de Panambi tem os que apoiam o prefeito e os que apoiam o Povo. Mais uma vez, os fatos estão aí. 

Por Assessoria do Vereador Ibrahim Chagas/patrocinado

 

Matéria publicacada em 21/10/2017
COMPARTILHE ESTA PÁGINA
» Arquivo de Notícias
O panambinews.com é totalmente contrário a prática de cópias não autorizadas de conteúdo, matérias e fotos ( violação de direitos autorais ) e também não autoriza a reprodução de seu conteúdo em outros sites, portais ou ainda em mídia impressa, a não ser sob autorização escrita e certificada. Podendo apenas compartilhar nas redes socias preservando as informações, links e créditos originais.