»Geral - Panambi News

Projeto Amigos dos Animais em Cena

No dia 14 de dezembro de 2017 ocorreu a segunda intervenção educativa do Projeto Amigos dos Animais na Escola Poncho Verde. Trabalhou-se com turmas do 1º ao 4º anos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

Atrizes se maquiando para a peça teatral.

Quem somos?

Somos um grupo de voluntários que, unidos pela solidariedade, comungam do mesmo ideal: agir em prol dos animais de rua ou em situação de vulnerabilidade, buscando minimizar a ocorrência de abandonos e descaso para com os animais. Esta é uma ação que faz parte do Projeto Amigos dos Animais e a equipe é composta por docentes, técnicos administrativos e acadêmicos do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do Instituto Federal Farroupilha – IFFar.

Equipe em ação na Escola de Educação Infantil Sementes do Amanhã.

O que propomos?

Nossa proposição é educativa, pois partimos da premissa de que para mudar a postura das pessoas é imprescindível investir em informação e formação. A mudança que tanto almejamos, de uma sociedade composta por cidadãos que hoje maltratam, violentam, abandonam e descartam animais para uma sociedade na qual todos viver harmonicamente só será possível por meio de um projeto educacional intencional e organizado. Para que isso seja alcançado são necessárias medidas educacionais preventivas, capazes de antever situações futuras hoje instauradas em nosso convívio social que acabam naturalizando atos horrendos contra os animais. Crianças presenciam situações de abandono e/ou descarte de animais pelos seus entes ou então acabam sendo cúmplices não conscientes de seus atos, sendo orientadas por adultos responsáveis por ela. Isso acaba por naturalizar esse tipo de atitude, pois a criança cresce pensando que é dessa maneira que se resolve o problema de uma ninhada indesejada ou então de um cão enfermo ou idoso, por exemplo.

Crianças dos anos iniciais partícipes do Projeto na Escola Estadual Poncho Verde.

Por que investir nas crianças?

A ideia de investir nas crianças possui uma perspectiva preventiva a longo prazo, pois elas serão os nossos adultos de amanhã, os cidadãos da sociedade. A nosso ver aprender é muito mais fácil que “desaprender” certos hábitos até então concebidos como corretos.

Ademais, estudiosos do desenvolvimento infantil tais como Piaget (1975; 1982) e Wallon (1975) alertam que é na fase de 3 a 6 anos que a personalidade da criança inicia o processo de formação e este é mais um excelente motivo para se apostar nelas. Piaget (1975) postula que o pleno desenvolvimento da personalidade é indissociável do conjunto das relações afetivas, sociais e morais que constituem a vida da criança. Para Wallon (1975), o desenvolvimento da criança também ocorre por fases, semelhante à concepção de Piaget. O autor postula a existência de 5 fases, sendo a terceira denominada fase do “personalismo”, que corresponde à faixa dos três aos seis anos, cujo aspecto principal volta-se ao desenvolvimento da personalidade e à construção da consciência de si (predomínio afetivo).

Crianças dos anos iniciais partícipes do Projeto na Escola Poncho Verde.


Criança dos anos iniciais sistematizando a sua aprendizagem na Escola Poncho Verde.

 Como agimos?

Escolhemos as escolas como nosso campo de atuação e as crianças o nosso público alvo. No ano de 2017 conseguimos realizar duas intervenções consideradas experimentais, para no ano de 2018 ampliarmos a abrangência, buscando atuar em todas as escolas municipais e estaduais de Panambi. Visando contribuir com a formação de cidadãos mais conscientes e responsáveis em relação à guarda/tutela dos animais, lançar-se-á mão de variadas metodologias, tais como teatro, contação de histórias, utilização de jogos educativos, dentre outras. As ações terão início em consonância com o calendário das escolas, do início ao final do ano, a partir de um calendário pré-estabelecido.

Nas intervenções levamos animais de estimação conosco para que as crianças possam interagir com eles estabelecendo vínculos afetivos. Na Escola Poncho Verde levamos a Cacau e o Tom e as crianças se sensibilizaram com as suas diferentes histórias. Cacau é uma yorkshire que foi adotada de um canil após uma vida de matriz. A partir dela, discutiu-se com as crianças o desejo de muitas pessoas em relação a um animal de raça, esquecendo-se de tantos animais sem raça definida que estão nas ruas à espera de um lar. Isso apareceu em um dos registros de uma criança após a intervenção.

Registro de uma criança dos anos iniciais da Escola Poncho Verde.

 Já o Tom é um gatinho que foi resgatado abandonado em uma estrada do interior e teve uma segunda chance com a adoção responsável.

As crianças trazem consigo muitas histórias de vivências em relação aos animais e todas elas querem compartilhá-las. Foram tardes de muita aprendizagem tanto para nós quanto para as crianças, pois saímos das escolas com a sensação de dever cumprido, de termos dado um primeiro passo rumo a um longo caminho que temos para percorrer. Quiçá possamos sonhar com um futuro mais digno para os animais, protegidos por uma geração mais consciente e sensível em relação a eles.

Registro de uma criança dos anos iniciais da Escola Poncho Verde.

Por-Fabiana Beck Pires

 

 

Matéria publicacada em 07/01/2018
COMPARTILHE ESTA PÁGINA
» Arquivo de Notícias
O panambinews.com é totalmente contrário a prática de cópias não autorizadas de conteúdo, matérias e fotos ( violação de direitos autorais ) e também não autoriza a reprodução de seu conteúdo em outros sites, portais ou ainda em mídia impressa, a não ser sob autorização escrita e certificada. Podendo apenas compartilhar nas redes socias preservando as informações, links e créditos originais.